Português English Español Français
Pesquisa

FAQ´s

O que é um implante dentário?
O que acontece se houver rejeição de um implante?
Existem contra-indicações para o tratamento com implantes?
É um tratamento doloroso?
Quanto tempo dura um implante?
Qual é a frequência adequada para as consultas de Higiene Oral?
As consultas de Higiene Oral podem ajudar no sucesso dos meus implantes?
Quais são os resultados do branqueamento?
Quanto tempo dura o branqueamento?
O branqueamento dentário provoca dor?
Todas as pessoas podem fazer branqueamento dentário?
Preciso substituir as minhas restaurações?
Os dentes desvitalizados podem ter cárie dentária?
Os dentes desvitalizados ficam mais escuros?
Quando devo levar os meus filhos ao dentista?
O que são selantes?
Uma mulher grávida também pode ir ao Médico Dentista?
A que se deve o Mau Hálito?
O Cancro Oral tem uma incidência elevada?

O que é um implante dentário?
Um dente natural é constituído por uma coroa e uma raiz. A coroa é a porção do dente que pode ser vista acima da gengiva e a raiz encontra-se dentro do osso, abaixo da gengiva.
Os implantes dentários foram desenvolvidos para substituir as raízes dos dentes perdidos, existindo em vários tamanhos e formatos, sendo colocados no osso maxilar ou mandibular.
Os implantes dentários podem ser realizados em qualquer idade (desde que terminado o período de crescimento) e apresentam uma taxa de sucesso bastante elevada, na ordem dos 98%, quando realizados em instituições credíveis e competentes. Uma má escolha da clínica onde pensa realizar o seu tratamento poderá acarretar vários problemas.

O que acontece se houver rejeição de um implante?
Quando não ocorre osteointegração de um implante, torna-se necessário substituir o implante rejeitado por um novo. O procedimento é extremamente simples e não implica nenhum custo adicional para o paciente. Actualmente o índice de re-operação para substituição de implantes é inferior a 2%.

Existem contra-indicações para o tratamento com implantes?
Existem certas patologias sistémicas que poderão atrasar o processo de cicatrização. Certos hábitos, como o de fumar, poderão também contribuir para um pós-operatório menos favorável.
A realização de uma história clínica exaustiva, acompanhada de exames complementares de diagnóstico adequados, e indicações operatórias específicas para cada caso permite ao Médico Dentista alertar e prevenir para os possíveis efeitos secundários.

É um tratamento doloroso?
Não. Tal como a maioria dos tratamentos, este é um procedimento que se realiza com anestesia local, e de uma forma indolor para o paciente.
Após a intervenção cirúrgica o paciente é devidamente medicado de modo a melhorar o pós-operatório, reduzindo o edema e alguma sensação dolorosa que possa existir.

Quanto tempo dura um implante?
Da mesma forma que ninguém pode prever com exactidão o tempo de duração de um dente natural, a duração de um implante é muito variável e depende sobretudo dos cuidados de manutenção. Uma higiene oral adequada e visitas regulares ao Médico Dentista, garantem um bom prognóstico em termos de longevidade dos implantes. Existem casos bem documentados de implantes colocados há mais de 30 anos que continuam em função.

Qual é a frequência adequada para as consultas de Higiene Oral?
A periodicidade deste tipo de consultas é de 3 a 6 meses, dependendo do nível de higiene oral conseguido em casa pelo paciente. No caso de reabilitações orais suportadas por implantes varia consoante a dimensão de reabilitação.

As consultas de Higiene Oral podem ajudar no sucesso dos meus implantes?
A higiene oral é tão importante em dentes como em implantes. As bactérias tem a capacidade de se acumular em torno dos implantes e levar ao aparecimento de infecções que podem comprometer a sua reabilitação. Assim, os implantes necessitam de uma cuidadosa higiene e conservação para assegurar a sua durabilidade e funcionamento a longo prazo.

Quais são os resultados do branqueamento?
Os resultados variam de pessoa para pessoa, uma vez que os dentes reagem de maneira diferente ao tratamento, mas em todos os casos, as alterações são bastante significativas.
Durante a consulta o Médico Dentista / Higienista Oral poderá indicar qual a expectativa do branqueamento em cada caso particular. Mesmo os dentes muito escuros podem ser branqueados e na maioria das vezes com excelentes resultados. Os casos mais difíceis podem requerer um branqueamento mais prolongado.

Quanto tempo dura o branqueamento?
Os resultados a longo prazo dependem dos hábitos, da alimentação e da própria estrutura dentária do paciente. Determinados factores, como o consumo do tabaco, café, chá, bebidas gaseificadas escuras e o facto de não realizar uma Higiene oral regularmente, podem ser factores prejudiciais na manutenção dos resultados.
Uma boa Higiene Oral e algumas restrições alimentares são a melhores garantias.

O branqueamento dentário provoca dor?
Em regra, os nossos pacientes não sentem qualquer dor, nem sensibilidade dentária durante o branqueamento. Excepcionalmente, poderá existir um pequeno número de pacientes que terão sensibilidade dentária durante o branqueamento e nas 24 horas seguintes. Um analgésico comum ou um dessensibilizante serão suficientes para acalmar essa sensação, sendo aconselhável durante esse período evitar o consumo de bebidas demasiado quentes ou frias.

Todas as pessoas podem fazer branqueamento dentário?
Qualquer pessoa poderá branquear os seus dentes, inclusivamente aquelas que têm os dentes mais escuros e com manchas provocadas por determinados alimentos, café, tabaco ou tetraciclinas. No caso do seu Médico Dentista / Higienista Oral descobrirem alguma razão para não recomendar o branqueamento será de imediato avisado.

Preciso substituir as minhas restaurações?
Um dente restaurado não significa que não possa voltar a ter cárie, e por isso é muitas vezes necessário substituir restaurações antigas. Além de poder surgir cárie por baixo da restauração, poderá também haver infiltração por cárie entre o dente e a restauração e assim a substituição de restaurações antigas é necessária para evitar que o dente se continue a degradar.

Os dentes desvitalizados podem ter cárie dentária?
Um dente desvitalizado significa que perdeu a polpa dentária (nervo e vasos sanguíneos do dente), no entanto a restante estrutura dentária permanece igual a um dente que não tenha sido desvitalizado. Desta forma comporta-se como um dente saudável e pode cariar da mesma forma. Os cuidados de higiene oral deverão ser iguais aos restantes dentes.

Os dentes desvitalizados ficam mais escuros?
Por vezes pode acontecer. Em certas desvitalizações podem ser deixados pequenos restos de polpa dentária que poderão escurecer o dente. Além disso a existência de hemorragia no interior do dente pode levar a incorporação de pigmentos de sangue no interior da coroa do dente que quando vistos a transparência dão uma tonalidade mais escura. Estes pigmentos podem ser removidos através de um branqueamento interno.

Quando devo levar os meus filhos ao dentista?
A primeira consulta de Medicina Dentária deve ser efectuada durante o primeiro ano de vida. Esta tem como objectivo a avaliação clínica da saúde oral do bebé, e dar a conhecer aos pais os cuidados de higiene oral e medidas de prevenção no campo da alimentação e no controlo de hábitos (chuchar no dedo, chuchar na chupeta, entre outros).
O que são selantes?
Os selantes são um material semelhante a um verniz que se coloca sobre as superfícies mais rugosas do dente (sulcos e fissuras). Estas superfícies são difíceis de higienizar e a colocação de um material que diminua a profundidade dos sulcos vai também diminuir a acumulação da placa bacteriana e, consequentemente, da cárie dentária.
A colocação do selante ajuda a prevenir a cárie dentária mas não dispensar a higiene oral comum do dente onde se é colocado.

Uma mulher grávida também pode ir ao Médico Dentista?
Os tratamentos dentários devem ser adiados numa mulher grávida, sobretudo no primeiro e terceiro trimestres de gravidez, salvo se se tratar de uma situação de urgência. Tal situação justifica-se não apenas devido ao feto mas também pelo desconforto que a posição durante a consulta exige à mãe.
No caso de ser necessário que o Médico Dentista intervenha em qualquer altura da gravidez, há procedimentos e medicamentos que se encontram devidamente comprovados pela evidência científica como sendo seguros. Existem inclusivamente determinados tipos de anestesia que são seguras quer para a mãe, quer para o feto, e que podem ser utilizadas sem risco para ambos.

A que se deve o Mau Hálito?
O Mau Hálito ou Halitose deve-se à exalação de odores desagradáveis através da cavidade oral, sendo um sinal de que algo no organismo está em desequilíbrio e deve ser tratado.
As principais causas para o Mau Hálito são uma higiene oral deficitária, acumulação de placa bacteriana, sobretudo na língua e também nos dentes e próteses dentárias, cáries e doenças gengivais, insuficiente produção de saliva, diabetes, alguns medicamentos ou uma alimentação inadequada.
Apesar de não existir uma solução definitiva para este problema, dependendo da causa, podem ser tomadas algumas medidas que podem ajudar. É importante manter uma correcta higiene oral a nível da língua, dentes e gengivas, proceder a alterações na alimentação, evitando alimentos como a cebola, o alho ou a pimenta. Alem disso, é também importante despistar alguma patologia sistémica como a diabetes ou alguma medicação que esteja a ser tomada. Por fim, é fundamental o papel da saliva que ao lubrificar de forma constante os dentes e gengivas diminui a quantidade de bactérias responsáveis pela produção do odor desagradável.

O Cancro Oral tem uma incidência elevada?
O Cancro Oral é o conjunto de tumores malignos que afectam qualquer tecido da cavidade oral, sendo a sua localização mais comum o pavimento da boca e a língua.
A incidência do cancro oral é superior ao cancro do colo do útero ou da laringe, sendo o sexto mais frequente em todo o mundo. É mais frequente nos homens, acima dos 45 anos de idade, aumentando consideravelmente até aos 65 anos. Os carcinomas da cavidade oral podem manifestar-se como uma mancha, geralmente branca ou avermelhada, uma massa endurecida ou uma úlcera persistente que não cicatriza. A maior parte das lesões são assintomáticas na sua fase inicial, tornando-se progressivamente dolorosas. A dificuldade em deglutir, as alterações de sensibilidade e gânglios linfáticos aumentados podem encontrar-se presentes.
A prevenção do cancro oral assenta, fundamentalmente, na adopção de um estilo de vida saudável, com a eliminação dos factores de risco, designadamente os hábitos tabágicos e alcoólicos. Por outro lado, devem ser realizadas visitas regulares ao Médico Dentista que permitam um diagnóstico precoce de lesões potencialmente malignas. Pelo contacto regular com os seus doentes, o Médico Dentista encontra-se numa posição privilegiada, contribuindo de forma determinante para a prevenção e diagnóstico precoce do cancro oral.


 
© 2014 Todos os direitos reservados - Instituto de Implantologia